quarta-feira, 13 de maio de 2015

BERNARDINO DE CAMPOS - HISTÓRIA ILUSTRADA DO MUNICÍPIO



APRESENTAÇÃO

No início de 1955 nossa família foi trabalhar numa olaria no bairro do "V", município de Bernardino de Campos. Nosso patrão era o Sr. Américo Barlati. Na verdade ela apenas administrava uma grande propriedade rural com plantação de eucaliptos e lavoura de subsistência. Era uma extensão de uma fazenda maior, a Santa Hermínia, situada em Ipaussu.
Alguns dos filhos do patrão se tornaram meus amigos e me levavam à cidade para assistir jogos dos times de lá: A Associação Esportiva Bernardinense e o Clube Atlético Ferroviário. Lembro-me do Biriba ponteiro esquerdo da Associação, muito rápido e driblador.
Tenho uma lembrança muito forte da grande estação ferroviária da cidade. Foi aí que andei de trem pela primeira vez: uma pequena viagem entre Bernardino e São Bartolomeu para participar da festa de casamento de uma sobrinha do patrão.
Nesse  ano mudamo-nos para outra olaria no mesmo bairro. O patrão era o Sr.  Eugênio José Xavier. Ele foi Vereador em Bernardino de Campos.


HISTÓRIA


“Com suas terras banhadas pelos rios Pardo e Paranapanema, em 1879, o território do atual Município de Bernardino de Campos recebeu os primitivos colonizadores, como Manoel Joaquim de Lemos, que, procedente de Avaré, demarcou uma grande gleba para a agricultura.
Em 1888, outros desbravadores, vindos de diversos pontos do Estado, instalaram-se iniciando uma povoação próxima do espigão, onde mais tarde a Estrada de Ferro Sorocabana lançou seus trilhos em direção ao oeste.
Instalada a estação ferroviária, cerca de três quilômetros do primitivo núcleo, foi este deslocado junto à linha férrea, com o nome de "Figueira".
Desenvolvendo-se, a povoação passou a Distrito de Paz em dezembro de 1917, com o nome de Bernardino de Campos, em homenagem ao então Presidente do Estado.
FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
Distrito criado com a denominação de Bernardino de Campos, por Lei Estadual nº 1570, de 6 de dezembro de 1917, sendo instalado em 14 de março de 1918, no Município de Santa Cruz do Rio Pardo.
Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920, Bernardino de Campos, figura como distrito do Município de Santa Cruz do Rio Pardo.
Elevado à categoria de município com a denominação de Bernardino de Campos, por Lei Estadual nº 1929, de 09 de outubro de 1923, desmembrado de Santa Cruz do Rio Pardo. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 22 de dezembro de 1923.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Município de Bernardino de Campos figura como Distrito Sede.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Bernardino de Campos pertence ao Termo judiciário de Santa Cruz do Rio Pardo, da comarca de Santa Cruz do Rio Pardo, e se compõe do Distrito Sede.
No quadro fixado, pelo decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para 1939-1943, o Município de Bernardino de Campos é composto de 1 único Distrito, Bernardino de Campos e pertence ao Termo de Santa Cruz do Rio Pardo, da comarca de Santa Cruz do Rio Pardo.
Em virtude do Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945-1948, o Município de Bernardino de Campos ficou composto de 1 Distrito, Bernardino de Campos, e pertence à comarca de Santa Cruz do Rio Pardo.
Assim figurando nos quadros fixados pelas leis Estaduais nos 233, de 24-XII-1948 e 2456, de 30-XII-1953 para vigorar, respectivamente nos períodos 1949-1953 e 1954-1958.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do Distrito Sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.
GENTÍLICO: BERNARDINENSE”

Fonte: http://www.citybrazil.com.br/sp/bernardinocampos/historia-da-cidade



ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL


PODER EXECUTIVO



Paço Municipal~


Armando José Pires Beleze
Prefeito

José César Fredi
Vive-prefeito


PODER LEGISLATIVO



Câmara Municipal



Moacyr Peres Munhoz Junior
Presidente

 
Fábio dos Santos Marciano
Vereador

Gilmar Simeão
Vereador


Isaac Massena
Vereador

 
José Francisco Carneiro da Silva
Vereador

Luiz Roberto Benedetti
Vereador


Rodrigo José Hilário Domiciano
Vereador


Valdeci Benedito Fernandes
Vereador


Wilson José Garcia
Vereador

Fonte: http://www.camarabcampos.sp.gov.br


INFORMAÇÕES SOBRE O MUNICÍPIO


   Aniversário9 de outubro
Fundação9 de outubro de 1923 (91 anos)
Gentílicobernardinense
Prefeito(a)Armando José Pires Beleze (PPS)
(2013–2016)
Localização



Unidade federativa São Paulo
MesorregiãoAssis IBGE/20081
MicrorregiãoOurinhos IBGE/20081
Municípios limítrofesSanta Cruz do Rio PardoIpaussu,ManduriÓleo e Piraju
Distância até a capital345 km
Características geográficas
Área244,018 km² 2
População11 146 hab. Censo IBGE/20143
Densidade45,68 hab./km²
Altitude695 m
Climasubtropical Cfb
Fuso horárioUTC−3



Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Bernardino_de_Campos



 Brasão do Município


Bandeira do Município

Fonte: http://www.bernardinodecampos.sp.gov.br/municipio.php




ALGUMAS PERSONALIDADES DA CIDADE

Adauto Santos


Adauto Antonio dos Santos foi cantor, compositor, violonista e violeiro, tendo sido excelente solista no tradicional instrumento da música caipira. Nasceu em Bernardino de Campos-SP no dia 22 de abril de 1940, e faleceu em São Paulo no dia 22 de fevereiro de 1999.
Adauto Santos situa-se entre as maiores preciosidades de voz e viola do Brasil. Foi na cidade de Londrina-PR, onde se criou, que iniciou sua carreira artística cantando ao lado de sua irmã com quem formou o "Duo Havaí", que venceu inclusive o Festival Roda de Violeiros, do Capitão Furtado, naquela cidade, tendo gravado nessa época o seu primeiro disco.
Em 1962, Adauto mudou-se para São Paulo, e passou a cantar na noite paulistana. Além de sua bela e afinadíssima voz, foi aos poucos introduzindo o toque da viola caipira em suas interpretações, o que chamou a atenção de muita gente, inclusive de clientes estrangeiros hospedados nosHOTÉIS DA capital paulista. Durante vários anos, apresentou-se no Jogral, renomado bar paulistano onde tocava viola.
Em suas apresentações, mostrava um repertório eclético, misturando obras de compositores como João Pacífico, Milton Nascimento, Mário Lago e Rolando Boldrin, além de suas próprias composições. Mesclando a MPB com a música caipira, o efeito tomou um caráter positivo e, aos poucos foi conquistando espaço no rádio, na TV e nos jornais, apesar de ter sido de modo bastante limitado, muito aquém do verdadeiro talento de Adauto. Segundo ele próprio, seu trabalho "foi sempre muito artesanal com muito suor e pouco reconhecimento".
Suas primeiras composições foram gravadas em 1963 pelo grupo "Os Amantes do Luar", que interpretou o bolero "Não me Esquecerei de Ti" e o rasqueado "Deita em Meus Braços".
Participou algumas vezes do programa "Som Brasil" apresentado por Rolando Boldrin na Rede Globo aos domingos pela manhã, no início da década de 80, ocasião na qual o nome de Adauto Santos e seu trabalho começaram a ganhar projeção nacional.
Sua primeira composição que realmente marcou foi, sem dúvida "Triste Berrante", que fez parte da trilha sonora da novela Pantanal da extinta TV Manchete e também foi gravada por excelentes duplas caipiras a exemplo de Pena Branca e Xavantinho. E como compositor, teve como parceiros da MPB, tais como Mário Lago, Paulo Vazolini, Eduardo Gudin e João Pacífico, com quem compôs "Juca", "Vontade de Voltar" e "Homenagem da Montanha", entre outras.
Seu primeiro disco foi "Nau Catarineta" e o último foi "Tocador de Vida e Viola", gravado em 1997 pela gravadora do CPC/UMES, o qual foi indicado para o Prêmio Sharp de Música Regional daquele ano. 
Em 1980, Adauto Santos participou da trilha sonora do filme "Cabocla Tereza".
Faleceu com 58 anos no dia 22 de fevereiro de 1999. No dia anterior à sua morte, ele deixou gravada uma participação na composição "Rosa" (Pixinguinha), que faz parte do CD "Mulheres em Pixinguinha", lançado pela gravadora do CPC-Umes.
Segundo Paulo Vanzolini, "Adauto representa um marco na manutenção da integridade de nossas tradições musicais, caipiras e talvez acanhadas, mas com personalidade máscula e duradoura".


Transcrito de:

 

Walcyr Carrasco



"'Conhecido por suas novelas de sucesso, como O Cravo e a Rosa, Almas Gêmeas e Caras e Bocas, Walcyr Carrasco nasceu em Bernardino de Campos (SP), no dia 1 de dezembro de 1951. Decidiu ser escritor quando tinha 12 anos, depois de se apaixonar pela obra de Monteiro Lobato. Suas primeiras histórias para crianças foram publicadas na revista Recreio, e o primeiro livro de literatura infantil, Quando meu irmãozinho nasceu, foi lançado em 1982.
De lá para cá, ele traduziu e adaptou clássicos da literatura e escreveu diversos livros infantojuvenis, além de obras para adultos, crônicas e peças de teatro. Sua vasta produção lhe garantiu uma cadeira na Academia Paulista de Letras.
Os temas sociais são uma das principais características da obra de Walcyr Carrasco. Por isso mesmo, ele foi convidado para escrever os três primeiros volumes da nova série Todos Juntos, que vai ajudar as crianças a tratar de questões delicadas." 
Transcrito de:  http://sites.aticascipione.com.br/autores/walcyrcarrasco/




 IMAGENS DA CIDADE

Endereço das fotos:
http://www.citybrazil.com.br/sp/bernardinocampos/galeria-de-fotos
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Bernardino_de_Campos




Antiga Estação ferroviária



Bilhete de trem da EFS



Subestação de energia


Igreja Matriz Nossa Senhora da Paz


Secretarias Municipais



Centro de referência de Assistência Social


Dia mundial da atividade física


Educadores reunidos


Essa foto de Bernardino de Campos História e Museu 

de Ensino é cortesia do TripAdvisor


Rua do centro da cidade


Escola no centro da cidade


Troféus - EC Ferroviário


Vídeo - Tour pela cidade (You Tube)




SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM

Wilson do Carmo Ribeiro é natural de Campos Novos Paulista, SP onde nasceu aos 16-07-1941, é Industriário aposentado no Grupo Votorantim, pedagogo e historiador diletante. 
Foi Vereador no Município de Mairinque, onde trabalhou também em emprego comissionado na Prefeitura Municipal. Durante quinze anos foi correspondente em Alumínio para jornal da região. Foi professor no primeiro e segundo graus durante 15 anos.
Atualmente dedica seu tempo a historiar cidades, igrejas presbiterianas (é presbítero nessa denominação evangélica desde 1975) e vida de pastores.
Em novembro de 2014 foi agraciado com o título de Cidadão Aluminense pela Câmara Municipal da cidade de Alumínio, SP. 

Toda crítica construtiva e sugestões para a melhoria deste trabalho podem ser enviadas pelo e-mail: prebwilson@hotmail.com
 





Nenhum comentário:

Postar um comentário