segunda-feira, 14 de março de 2011

O PRESBITERIANISMO EM MAIRINQUE

APRESENTAÇÃO

         Antes de falarmos sobre o surgimento da Congregação Presbiteriana em Mairinque em 1981, necessário se faz mencionar que em período anterior que se encerrou em 1966, funcionou o trabalho presbiteriano nessa cidade.
         Quem iniciou o trabalho, que se tornou congregação da Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba foi o irmão Horácio Silva, o qual cedia um pequeno salão de sua propriedade na Vila Nova Mairinque, onde os trabalhos eram realizados sob a liderança do referido irmão.
         Em março de 1965 a congregação passou à jurisdição da Igreja Presbiteriana de Alumínio, a qual por sua vez, se organizara em 15-03-1965, “herdando da IP” Filadélfia as congregações de Mairinque, Canguera e Vargem Grande Paulista.
         Para o exercício de 1966 o Conselho da IP de Alumínio achou por bem nomear um irmão, que se tornara membro da IP Alumínio para ser o responsável pelo trabalho em Mairinque.
         O novo e o antigo representante não conseguiram se entender quanto ao método de trabalho e em função disso o Sr. Horácio não concordou em ceder mais o imóvel.  Então o Conselho da IP Alumínio deliberou pelo fechamento do trabalho presbiteriano em Mairinque.
         Face ao ocorrido o irmão Horácio Silva buscou apoio da Primeira Igreja Presbiteriana Independente de Sorocaba, a qual achou por bem assumir os trabalhos no imóvel do referido irmão. 


O NASCIMENTO DE UM TRABALHO VIGOROSO


Em 1975 a Prefeitura Municipal de Mairinque criou o loteamento denominado Jardim Cruzeiro, vendendo os terrenos às pessoas que ainda não possuíam imóvel no município. Alguns membros da I.P. de Alumínio adquiriam terrenos no referido bairro. Somaram-se a eles, outros que também se mudaram para Mairinque, onde floresciam bairros como CECAP, Nova Mairinque e Residencial Parque.
Entre os irmãos que se mudaram com suas famílias de Alumínio para a Mairinque estavam os Presbíteros Jovelino de Oliveira Tomáz e Wilson do Carmo Ribeiro. E foi na casa deste último que teve início o trabalho na localidade em julho de 1981 com 37 alunos na Escola Dominical. A abertura da mesma era feita na garagem, onde permanecia a classe de adultos. As crianças ficavam no escritório ao lado e os jovens subiam para a sala. Posteriormente, tendo crescido muito a classe das crianças a mesma foi desdobrada, indo os adolescentes para um dos quartos da residência, a qual tinha dois pavimentos.
      Nesse local o trabalho funcionou até dezembro de 1983 e a família Ribeiro só esteve ausente em um domingo, quando viajou no período de férias. Dona Maria Tomáz ficou com as chaves e acompanhou o desenrolar dos trabalhos.


Alunos da Escola Dominical em dezembro de 
1982 em frente a casa nº 525 da Rua Dr. 
Jones Bill Munhoz - Jd. Cruzeiro


OS QUE PARTICIPARAM DOS PRIMEIROS MOMENTOS DO TRABALHO PRESBITERIANO EM MAIRINQUE:


Presb. Jovelino e esposa dona Maria
e Presb. Wilson e esposa dona Claudineide


Rev. Ely Barbosa pastoreou no início
da congregação em Mairinque.


Rev. Manoel Peres Sobrinho - no seu
primeiro período como pastor, foi
 construido o Edifício de Educação Cristã,
ainda como congregação de Alumínio


Estas são as famílias que formaram o núcleo que originou a Congregação Presbiteriana em Mairinque: Presb. Jovelino de Oliveira Tomaz (dna. Maria, Azenate, Eunice, Loide, Rhode, Ana e João Marcos); Presb. Wilson do Carmo Ribeiro (dna. Claudineide, Wilson Cláudio, Eliane, Flávia e Artur), Luiz Carlos Sodré (dna. Terezinha, Lorien, Lígia, Luiz Gustavo e Ana Cláudia; Zilton Machado Neves (dna. Celina, Ziltinho, Thaís e Othon); Silas Alves Carneiro (dna. Honorina) Roque Pereira (dna. Esther, Márcia, Marco Aurélio e Heloísa); Logo depois vieram: Carlos Pedroso(Ester, Carlos Eduardo, André e depois Priscila); Valdenei Bezerra dos Santos (dna. Conceição, Celso, Marcos Igor, Clovis André e Júnior); Benedito Antonio Fernandes (dna. Neuza, Fábio, Luciana e Rafael); Dona Hildete Vilela de Oliveira (Edna e Edilza); Dona Maria Tomé (Márcia, Érica, Fabiana, Antonio Marcos e Francislei); Ana Maria Barbosa (Fábio e Fabiana); Paulo Afonso Bona (dna. Rosmeire, Jéferson e Débora); Elza Mendes dos Santos (Leda, Elisio, Eliseu, Carlos Henrique e Hosana), Laércio Aparecido Pereira (dna. Conceição, André, Luciene e Débora); Célio da Silva (dna. Regina, Érica e Jander); Aroldo de Souza (Eliete e Tatiana); Arlindo Rodrigues Esther, Naiza e Dorimar): Benedito Pereira (Maria Inês e Marlon); Aparecida Maria Pinto (Cláudia, Luciane e Mariana); Maria Aparecida Pinto (Alessandro, Leandro e Valéria); Miquéias e Mirian; Moisés José de Lima (dona Maria Marta e filhos), Walter Ramos, Onofre Reis Filho, Matiko Maeda (Rita) e outros.
      Logo depois do início do trabalho presbiteriano em Mairinque organizaram-se a SAF, Mocidade, Coral e conjunto de jovens, o qual recebeu o nome de Ágape.
Como o trabalho se desenvolvera rapidamente, a I.P. de Alumínio adquiriu dois terrenos de quatrocentos metros quadrados cada na Rua Major Saldanha, Vila Nova Mairinque e ali edificou dentro de pouco tempo o Edifício de Educação Cristã. A essa altura, a Escola Dominical já contava com mais de cem alunos. Muitos vieram de Alumínio; outros se converteram nos trabalhos da nova comunidade. A estes se somaram algumas famílias que haviam deixado a Igreja Metodista, entre as quais a do Sr. Luiz Carlos Sodré, que permaneceu como membro da igreja.
      Organizaram-se as demais sociedades domésticas: UPH, UPA e UCP. Tiveram início também os ensaios de um conjunto coral sob a regência da irmã Diomar Vieira Peres, esposa do Reverendo Manoel Peres Sobrinho, que pastoreava a IP de Alumínio e, por conseguinte, a Congregação em Mairinque. Como o referido pastor mudou-se com a família para a cidade de Lavras, MG, o coral esteve paralisado por algum tempo, voltando às atividades já em novo local sob a regência do irmão Silas Alves Carneiro.
Até então a Congregação não possuía um órgão eletrônico e estava se utilizando de um órgão convencional, bastante antigo, que antes fora usado na Congregação do Jardim Paraíso. Os irmãos de Mairinque então adquiriram um órgão eletrônico usado em São Miguel Arcanjo. O mesmo foi trazido daquela cidade pelos irmãos Wilson, Claudineide, Silas Carneiro e a esposa dele, dona Honorina. Depois de algum tempo, já como igreja organizada foi comprado um órgão novo, quando então a regência passou às mãos do Presb. Walter de Moura, o qual vinha treinando o jovem João Marcos de Oliveira Tomáz, que faleceu prematuramente, vítima de um acidente automobilístico na Rodovia Raposo Tavares, região de Avaré.
    


Irmã Diomar Vieira Peres e regente
João Marcos de Oliveira Tomaz


Rev. Ramon Perez - 1º pastor
designado da I.P. de Mairinque


1º Conselho e 1ª Junta Diaconal da Igreja Presbiteriana
de Mairinque. De pé os presbíteros Zilton Machado
Neves, Aroldo de Souza, Wilson do Carmo Ribeiro.
e Jovelino de Oliveira Tomaz. Agachados os diáconos:
Onofre Reis Filho, Benedito Antonio Fernandes,
Eliseu Muniz e Laercio Aparecido Pereira.

ORGANIZA-SE UMA NOVA IGREJA
  

Em 15-12-1985 ocorreu a organização da Igreja Presbiteriana de Mairinque, tendo sido designada uma comissão especial pelo Presbitério de Sorocaba para essa finalidade. O primeiro Conselho foi integrado pelos Presbíteros Jovelino de Oliveira Tomaz, Wilson do Carmo Ribeiro, Zilton Machado Neves e Aroldo de Souza. A primeira Junta Diaconal foi constituída dos irmãos: Laércio Aparecido Pereira, Elizeu Muniz dos Santos, Onofre Reis Filho e Benedito Antonio Fernandes. Onofre também faleceu pouco tempo depois, vitimado por acidente na Rodovia Raposo Tavares na cidade de Cotia, SP.
O Reverendo Ramon Perez, foi designado pelo Presbitério de Sorocaba para assumir o pastorado da nova igreja no ano seguinte. Até então ele pastoreava a igreja-mãe, a IP de Alumínio.
 

AS CONSTRUÇÕES

     

Consolidado o trabalho em termos eclesiásticos, a I.P. de Mairinque tratou de tocar as obras que hoje constituem seu patrimônio. Num espaço de tempo de apenas sete anos a maioria de suas construções estavam prontas.
      Como na Vila Nova Mairinque existissem terrenos à venda, o Conselho adquiriu dois deles, perfazendo oitocentos metros quadrados, na Avenida Major Saldanha e ali deu início à construção do prédio que algum tempo depois estava pronto. Com um salão de cultos na parte inferior e quatro salas de aula no pavimento superior, o edifício foi inaugurado no final de 1983, no pastorado do Reverendo Manoel Peres Sobrinho, que liderou as obras e ali pregou pela primeira vez.
      Com o rebanho crescendo cada vez mais, o Conselho deliberou construir o templo, o que foi feito num espaço de tempo relativamente curto, cabendo ao Sr. Jurandir Carlos Pinto a edificação do belo santuário. O projeto arquitetônico foi do engenheiro Antonio Carlos Rodrigues Raposo, sem ônus para a igreja. No templo ainda inacabado, foi realizado o casamento do Reverendo Mauro Ribeiro de Freitas, pastor da igreja com a jovem Érica Martins da Silva. A consagração do templo ocorreu no ano seguinte.
      Encaminhada essa primeira questão, a IP de Mairinque adquiriu outro terreno, desta vez à Rua Antonio Vieira, no bairro Residencial Parque e ali construiu a casa pastoral com mais de cento e cinqüenta metros quadrados. O primeiro pastor a residir nessa casa foi o Reverendo Homero de Almeida, em 1994, nela permanecendo até 1999, quando concluiu seu segundo mandato.
      Algum tempo depois teve início a construção do salão social nos fundos do templo e por fim, a casa da zeladoria, edificada sobre o salão social..




O belo templo da Igreja
Presbiteriana de Mairinque

AS SOCIEDADES DOMÉSTICAS



Foto feita no dia em que a SAF
foi organizada na Congregação. 
Presbiteriana em Mairinque em 1983

OS PASTORES


O Rev. Mauro Ribeiro de Freitas sucedeu
o Rev, Manoel e em seu pastorado foi
construido o templo


O Rev. Homero de Almeida
sucedeu o Rev. Mauro


O Rev. Jurandir Vieira Cardoso
sucedeu o Rev. Mauro e antecedeu


 
o Rev. Gustavo Luiz do Prado


Rev. Carlos Amendoeira Júnior
    
 

Como já foi mencionado, pastoreava a IP de Alumínio em 1981 quando começou o trabalho presbiteriano em Mairinque o Reverendo Ely Barbosa. Esse pastor é natural de Elias Fausto, região de Campinas e é casado com a professora Eunice Couto Barbosa. Ele sucedeu o Reverendo Celso Pedroso Fontão no pastorado da IP de Alumínio, o qual permanecera um ano à frente da igreja após a saída do Reverendo Benedicto Neves de Paula (esposa professora Maria Lúcia).
      Depois do Reverendo Ely assumiu o pastorado da IP de Alumínio e também a congregação em Mairinque o Reverendo Manoel Peres Sobrinho em 1982, quando ainda era solteiro. Esse pastor, natural de Votorantim - SP casou-se com a jovem. Diomar Vieira Peres. Depois de sair de Mairinque ele passou por igrejas em Lavras e Coronel Fabriciano em Minas Gerais e por Bauru, SP, retornando para um segundo mandato em Mairinque. Foi no primeiro pastorado dele que se construiu o edifício de educação cristã, aliás, ele, pessoalmente fez a compra de quase todos os materiais.
      O Reverendo Ramon Perez, irmão do Reverendo Manoel era solteiro quando pastoreou as comunidades de Alumínio e Mairinque. Também natural de Votorantim, SP veio a se casar com a professora Cristina e tem laborado no Presbitério de Sorocaba, enquanto que seu mano pertence ao Presbitério Leste Sorocabano.
Na sequência do pastorado do Reverendo Ramon assumiu a igreja de Mairinque o Reverendo Mauro Ribeiro de Freitas. Também este obreiro era solteiro e veio a se casar com uma de suas ovelhas, a jovem Érica, que também se formou no magistério. A cerimônia de casamento deles, realizada em 1989 foi no novo templo, ainda com a construção por terminar. Foi em sua sucessão que o Reverendo Manoel cumpriu seu segundo mandato na IP de Mairinque..
      Eleito por um período de três anos assumiu o pastorado da IP de Mairinque em janeiro de 1994 o Reverendo Homero de Almeida (esposa dona Leide), procedente da IP de Granja Viana, na Grande São Paulo. Ele foi o primeiro obreiro a residir na casa pastoral. Concorreu e foi eleito para outro mandato de três anos.
      Em 1999 o Reverendo Homero concorreu novamente, mas foi eleito com uma margem bastante pequena e acabou não ficando na igreja. Foi nessa ocasião que ocorreu o cisma na igreja, sendo que um grupo de irmãos fundou um outro trabalho presbiteriano em Mairinque. Atualmente essa congregação está jurisdicionada à Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba e seu salão de cultos fica no centro de Mairinque
      Nos últimos anos esteve à frente do pastorado da IP de Mairinque os Reverendos: Jurandir Vieira Cardoso (esposa dona Nair),Gustavo Luiz do Prado (esposa Mariela Cristiane);Carlos Amendoeira Júnior (esposa Jocelei) e por último Wagner Aparecido dos Santos (esposa Arlete Maria).

   

OS SEMINARISTAS



     Na foto, o Rev. Carlos Alberto Henrique um dos capelães da Universidade Mackenzie
O primeiro membro da IP de Mairinque a cursar teologia no seminário foi o jovem Luiz Henrique Filho, mais conhecido à época como Luizinho.     Seu irmão, mais velho, Carlos Alberto, já estava no seminário, mas era membro em Alumínio. Mais tarde o pai deles, Luiz Henrique Sobrinho, já numa idade mais madura, também membro em Mairinque, foi atuar como missionário no Mato Grosso e tornou-se pastor, vindo a liderar o rebanho em Alumínio onde fora membro anos antes. Luiz Henrique é casado com dona Lúcia e o casal tem ainda um filho chamado Sidney.
      Como seminarista, Luizinho teve significativa participação na expansão do trabalho em Mairinque na metade da década de 1980. Depois atuou no campo de Araçoiaba da Serra. Ordenado pastor, sua atuação no presbitério concentrou-se principalmente na IP de Barcelona, em Sorocaba, a qual veio posteriormente a se chamar Igreja Presbiteriana Rocha Eterna.
      Mais tarde, outro membro da IP de Mairinque foi para o seminário: Jéferson Luz Bona, filho do casal Paulo e Rosmeire, convertidos logos nos primeiros anos do trabalho em Mairinque. Licenciado em 2007, o irmão foi designado para trabalhar com o Reverendo Mauro na IP do Jardim Bandeirantes, em São Roque.
    Quanto aos oficiais, houve um irmão que se tornara diácono ainda nos tempos de congregação: foi o irmão Valdenei Bezerra dos Santos, o qual se mudou com a família para o Piauí em função de sua carreira no Banco do Brasil e não voltou mais para Mairinque. Porém um outro bancário veio de São Miguel Arcanjo para Mairinque, foi eleito presbítero e é até hoje um dos líderes do trabalho presbiteriano em Mairinque. Trata-se do irmão Miguel Fernandes Ribeiro (dona Roseli, Tiago, Mateus e Ana Livia).


PRESBÍTERO JOVELINO UM EXEMPLO A SER IMITADO

 


Como já foi dito, o Presbítero Jovelino de Oliveira Tomáz foi designado como um dos responsáveis pelo trabalho presbiteriano em Mairinque quando de sua organização em julho de 1981. Ele e o outro responsável (Presb. Wilson) faziam parte do Conselho da igreja sede, a IP de Alumínio e assim prosseguiram até 15-12-1985 quando foi organizada a IP de Mairinque. Os dois irmãos foram eleitos presbíteros na nova igreja que se organizara.
      Servo de Deus muito respeitado por seu testemunho, o presb. Jovelino com a esposa dona Maria, igualmente consagrada ao serviço do Mestre viria a sofrer imensas perdas em sua família. Em 1996 o único filho homem faleceu vitimado por um acidente com o automóvel que ele dirigia quando voltava de Ourinhos para Mairinque.
      Tomate, como era carinhosamente chamado pelo incontável número de amigos que tinha, retornava para Mairinque com a firme intenção de ensaiar o coral da igreja para o culto daquela noite, mas quis o Senhor que ele fosse recolhido aos páramos celestiais. A tristeza de todos foi imensa, porém pudemos ouvir a frase do nosso irmão Jovelino quando o corpo chegou à igreja naquela noite: ”O Senhor nos deu e o Senhor o tirou; bendito seja o nome do Senhor“, parafraseando o patriarca: (Jó 1.21)
      Passados apenas dois anos outro acidente também de automóvel tirou a vida de uma das filhas (Azenate), do genro José e do filhinho deste. Ficaram feridas ainda no mesmo acidente as irmãs Loide e Eunice Tomáz e Edna Vilela de Oliveira. Jovelino e dona Maria sentiram o golpe, mas não foi dessa vez que o desânimo abalou a fé do casal. Algum tempo depois, faleceu de forma repentina o genro Carlos, deixando viúva a irmã Ester, filha primogênita do casal. Passados alguns anos depois o Senhor recolheu outra filha do casal, Rhode, que deixou marido e duas filhas.
      O casal se manteve inabalável no trabalho do Senhor e hoje, com mais de oitenta anos, o Presb. Jovelino continua fazendo parte do Conselho da IP de Mairinque e dona Maria cantando no coral.
Para exercitar sua mente depois desses lamentáveis acontecimentos, o irmão passou a compor acrósticos e poemas, todos com a temática voltada para o Criador. Com esses trabalhos, presenteia adultos e crianças quando festejam seus aniversários. No dia em que o irmão festejou seu 80º aniversário, o Conselho da IP de Mairinque realizou um culto em ação de graças e fez-lhe uma surpresa: publicou os acrósticos e poemas dele.
O prefácio coube ao amigo e irmão em Cristo, Presb. Wilson Ribeiro.
      Depois dessas perdas todas, o Senhor recompensou o casal com netos e bisnetos, o que de certa forma serve de bálsamo para as cicatrizes que a vida se encarregou de colocar na vida dos amados irmãos.


Presb. Jovelino com a família
(foto feita quando o casal comemorou
Bodas de Ouro do casamento)


Rev. Wagner Aparecido dos Santos
atual pastor da Igreja Presbiteriana
de Mairinque


COMEMORANDO O JUBILEU DE PRATA DE ORGANIZAÇÃO


Em 15-12-1985 o presbitério organizou a IP de Mairinque, sendo seu primeiro pastor designado o Reverendo Ramon Perez. O primeiro Conselho foi integrado pelos irmãos: Jovelino de Oliveira Tomaz, Zilton Machado Neves, Aroldo de Souza e Wilson do Carmo Ribeiro. A Junta Diaconal foi integrada pelos irmãos; Laércio Aparecido Pereira, Benedito Antonio Fernandes, Elizeu Muniz dos Santos e Onofre Reis Filho.
III – Mas, voltando um pouco mais na história de nossa amada IPB, vamos encontrar uma figura que Deus usou de forma abundante na pregação do evangelho no estado de São Paulo e especialmente em Sorocaba e região: foi o Reverendo José Manoel da Conceição, ex-padre, que depois de convertido fez questão de percorrer todos os lugares onde havia sido pároco para levar as boas novas do evangelho. Ele foi ordenado pastor em 1865, sendo o primeiro pastor protestante brasileiro.
Foi inspirado na figura do Reverendo José Manoel da Conceição, cujos pés permearam as estradas e caminhos de nosso interior, que o presidente de nosso Supremo Concilio se apegou para utilizar o tema: “Igreja dos Pés Formosos”. Por que esse tema?
IV – Porque Igreja dos Pés Formosos é a igreja da caminhada, da ousadia, da evangelização. Sabemos que a Igreja Presbiteriana de Mairinque sempre se caracterizou por seu espírito evangelístico. Homens, mulheres, jovens, adolescentes e crianças sempre saíram a campo levando a preciosa semente. Nos tempos do irmão Luizinho, mais tarde Reverendo Luiz Henrique Filho, houve um intenso trabalho de evangelização pela IP de Mairinque.
V – Igreja dos Pés Formosos é aquela que tem a experiência da conversão em Cristo Jesus: “se com tua boca confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo”. Você já teve o encontro pessoal com Cristo?
O que marca a vida da igreja é a reunião das pessoas que tiveram uma experiência pessoal com Cristo, como a que teve o apóstolo Paulo, que estava pronto a dar sua vida pelo ideal da pregação do evangelho de Cristo. Igreja dos Pés Formosos é aquela que persegue os mesmos ideais que levaram um jovem americano de apenas 26 anos a deixar seu país e vir ao Brasil, doando sua vida, pois morreu de febre amarela, não sem antes ter perdido a jovem esposa durante o parto, ficando num país distante, com um bebezinho em seus braços, a qual seria criada por sua irmã e seu cunhado Blackford, continuadores de seu trabalho em nosso país .
VI – Igreja dos Pés Formosos é aquela que tem um testemunho a dar à sociedade. Vivemos num país de paradoxos, onde temos coisas de primeiro mundo como riquezas naturais, economia em destaque em todo o mundo, mas também convivemos com pobreza extrema, violência e tantas famílias desestruturadas, precisando urgentemente de uma mudança de vida. Precisamos de pais que demonstrem que amam seus filhos e de filhos que amam seus pais. Não podemos deixar que nossas crianças fiquem ao léu da sorte, enveredando por toda sorte de vícios e descaminhos, pois a Bíblia diz que devemos ensinar ao menino o caminho em que deve andar e quando for crescido não se desviará dele.
País onde programas proliferam nas rádios e TVs mas o mercantilismo dos milagres se sobrepõem à pregação genuína do evangelho remidor capaz de mudar por completo as vidas das pessoas.
      Acrescenta-se ainda que o próprio presidente nacional de nossa igreja reconhece que nossa denominação anda a passos muito curtos, existindo centenas de municípios em todos os estados de nossa federação onde não existe uma comunidade presbiteriana. Muitas, ou a maioria de nossas igrejas crescem num ritmo muito lento. Haja visto que na zona norte de Sorocaba, que tem mais de 300.000 habitantes só tem uma congregação presbiterial no Parque São Bento.
VII - Igreja dos Pés Formosos é aquela que professa o Senhor Jesus com suas palavras. Palavras evidenciadas com atos e testemunho. Não podemos ter uma vida contraditória: nos cultos no domingo à noite na igreja somos uma coisa: na escola somos alunos perturbadores, jovens que freqüentam motéis, casais que dão calotes em seus credores, ou que se separam por qualquer motivo, manchando o nome de nossa amada igreja, pela qual nossos antepassados tanto labutaram.
      Sou testemunha da alta conta que os presbiterianos de Alumínio desfrutavam perante o diretor industrial da CBA Dr. Antonio de Castro Figueirôa. Pessoas que eram apresentadas por presbiterianos tinha emprego certo na fábrica, bem como os filhos dos mesmos (desde que estudassem). Ganhavam casa na Vila Industrial. Galgavam postos de confiança na indústria. Eram elogiados por seu desempenho nas suas funções. Igreja dos Pés Formosos tem seus membros com uma vida diferenciada perante nossa sociedade. (exemplo Lucas e dona Maria)
VII – Igreja dos Pés Formosos é aquela que não faz distinção entre as pessoas. No versículo 14 de nosso texto o apóstolo diz que não existe distinção entre judeus ou gregos, pois todos são pecadores e somos salvos somente pela graça misericordiosa de Deus através de Cristo Jesus.
      A alegria de partilharmos a salvação com todos os seres humanos é bíblica e foi um dos lemas norteadores de João Calvino. Deus veio ao nosso encontro. Folheando a história da educação no Brasil descobriremos que foi no Mackenzie, preciosa instituição presbiteriana onde se sentaram pela primeira vez lado a lado meninos e meninas, filhos de senhores e filhos de ex-escravos, sob a orientação do Reverendo Chamberlain. Todos somos chamados para sermos servos.

CONCLUSÃO: 

      Que o Senhor nosso Deus e Pai continue a derramar copiosas bênçãos sobre a I. P. de Mairinque. Que nossos descendentes continuem a propagar o evangelho de Jesus Cristo onde quer que o Senhor venha a colocá-los.
      O profeta Naum no capítulo 1 v. 15 assim se expressa: Eis sobre os montes os pés dos que anunciam boas novas, dos que anunciam a paz! Celebra as tuas festas, ó Judá... E eu vos conclamo a continuar celebrando as festas do Senhor na IP de Mairinque. Celebra tuas festas ó povo de Deus. Celebra com júbilo, sirva com alegria, apresentem-se diante Dele com cânticos. Sabei que o Senhor é Deus porque foi ele que nos fez e dele somos. Somos rebanho do seu pastoreio. Amém.
    
      A seguir, fotos do culto realizado nesse dia e no dia seguinte, quando pregou o Rev. Francisco Chaves dos Santos, pastor da Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba.
Obs. 1981 foi o ano em que teve início o trabalho presbiteriano em Mairinque e 1996 foi o último ano inteiro da família Ribeiro em Mairinque, pois mudou-se no início de janeiro de 1997 para Araçoiaba da Serra.


FOTOS DO EVENTO

Presb. Wilson do Carmo Ribeiro
Trouxe a mensagem de abertura
das comemorações


 Rev. Wagner e os presbíteros

Celebração da Santa Ceia


Participação do Coral
Regente: Tiago Ramos Ribeiro


Presbíteros da IP de Mairinque: Jovelino,
Claudio Coelho, Claudio Assis e Laercio
Aparecido Pereira


Reencontro de membros em ambiente
de muita alegria


Reencontro (2)


Dona Maria Tomaz cuidou da Flávia, que
agora é mamãe da Isabella


 
Mais irmãs que se reencontraram


Louvor jovem


Bênção apostólica pelo Rev. Wagner Santos


A IGREJA PRESBITERIANA FILADÉLFIA EM MAIRINQUE
CONGREGAÇÃO

HISTÓRICO

Em 12-12-1999 um grupo formado por 37 membros comungantes e 12 não comungantes (menores) oriundos da Igreja Presbiteriana de Mairinque começou um novo trabalho na cidade. Uma casa foi alugada no centro da cidade e uma Mesa Administrativa foi formada para dar os primeiros passos.
O primeiro status foi o de Congregação Presbiterial e o primeiro pastor foi o Reverendo Mauro Ribeiro se Freitas. Em seguida veio o Reverendo Manoel Perez Sobrinho, ambos já bastante conhecidos da nova comunidade presbiteriana.
Depois, por certo tempo, a Congregação funcionou com o trabalho do seminarista Dilermando Félix Monteiro e atos pastorais por pastores designados pelo Presbitério.
Em 2003 a Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba assumiu o trabalho e desde então ele se tornou numa Congregação daquela igreja, tendo um pastor de tempo integral. A partir dessa fase pastorearam a congregação os Reverendos Gustavo Sant’Ana Cunha, Helio Ribeiro Queiróz e o atual, Amauri Vassão Filgueras.
Atualmente a Igreja Presbiteriana Filadélfia em Mairinque tem 40 membros comungantes e vinte não comungantes (menores). 
Ela não possui sociedades domésticas, realizando em conjunto os trabalhos programados. Em ocasiões especiais como Natal e Páscoa tem sido realizados trabalhos em parceria com a Igreja Presbiteriana de Alumínio.

Fonte: Informações por escrito da irmã Edna Vilela de Oliveira, membro pioneira, com base no livro de Atas nº 1 da Comissão Organizadora do trabalho. 



ACERVO FOTOGRÁFICO DA CONGREGAÇÃO


 

O templo

  Membros


Louvor Jovem


GALERIA DE FOTOS- O PRESBITERIANISMO EM MAIRINQUE


Classe de Crianças da Escola Dominical (1981)


Tatiana e Artur


Crianças mais a adolescente Flávia na
casa do casal Paulo Bona e Rosmeire


Família Neves: Zilton, Celina, Ziltinho, Thaís e Othon.


Delegação da I.P. de Mairinque campeã da 1ª Umpíada
da Fempresso em Votocel (02-11-1985).


Time de futsal feminino da mocidade
da IP de Mairinque campeão da 1ª
Umpíada da Fempresso (02-11-1985)


Equipe de futsal da Mocidade da IP de Mairinque:
Jander, Miguel, Sidney, Wilson Claudio, Luizinho
e Dunguinha.(1985)


Crianças no terreno onde seria construído
o Edifício de Educação Cristã (1982)

Dia do Pastor Presbiteriano (Artur Ribeiro caracterizado)
1986)

Escola Bíblica de Férias (1983)


Escola Bíblica de Férias (1994)


Escola Bíblica de Férias ( 1994)


Escola Bíblica de Férias ( 1994)


Irmãos Eduardo e Ernani Moura e irmãs
Luciana e Flávia Ribeiro


Luiz Carlos Galdino e Artur Ribeiro


Dia do Pastor - SAF homenageia
o Rev. Manoel


Jubileu de Ouro da Federação 
Doralice Furquim Arruda - SAF


Jubileu da Federação - Culto festivo


Louvor Jovem IP de Mairinque


Quarteto Livre: Luiz Gustavo, Abner, Jeferson e Artur.


1º Casamento com efeito civil no templo da
IP de Mairinque: Eliane e Luiz Rodolfo (1994)


Conjunto Emanuel


Regente Presb. Walter de Moura


Coral Maranata


Coral Maranata


EBF (1994)


(EBF 1994)


(EBF 1994)


Conjunto Ágape


Dia do Pastor Presbiteriano (Rev. Mauro Ribeiro de Freitas)


Presb. Wilson Ribeiro e esposa
d. Claudineide - 1989

Paulo e Rosmeire Bona - batismo dos
filhos Jeferson e Débora

Jovens da IP de Mairinque


Moças da IP de Mairinque
(ao fundo o jovem Marco Aurélio Garcia)


Seminarista Jeferson Luz Bona


Rev. Walter Bronzeli Czinczel (frequentou
a IP de Mairinque)

Presb. Wilson Ribeiro e família - 1984


Conselho (Presb. Wilson, Zilton, Jovelino e Atoldo) com
o Rev. Mauro no terreno adquirido para construção
 da casa pastoral


Presb. Jovelino,  irmão Luiz Carlos Sodré e Rev.
Manoel Peres Sobrinho


Presb. Jovelino, irmão Luiz Sodré e Presb.
Jasiel Ferreira Filho


Ordenação dos diáconos Wilson Claudio Ribeiro e
João Marcos de Oliveira Tomáz

 Classe de Crianças - 1984

As fotos que se seguem são de um culto de louvor realizado na IP de
 Mairinque em 1986 por iniciativa do irmão Luiz Carlos Sodré.
 Foi feito uma filmagem em fita k-7 pelo filho dele Sr. Luiz Américo Sodré 
e, em outubro de 2011, o Presb. Wilson Ribeiro transformou a fita em fotos.


































































































Rebeca Ramos e sua filhinha


FOTOS POSTADAS NO FACEBOOK PELAS
IRMÃS TATIANA CARDOSO E CAMILA SOUZA
CAVALHEIRO


CONCLUSÃO


         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação. 


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM


Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero emérito da Igreja Presbiteriana do Brasil e membro da Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com




Um comentário:

  1. Sr. Wilson, que alegria ver o Sr. e as fotos. Foi nesta igreja que me casei em 73 e meus filhos foram batizados. Eu saí de Mk em 1986. e desde então foram poucas vezes que voltei. Hoje moro em Piracicaba com com minha família. Filhos netos genrro e nora. Estamos bem Graças a Deus. Adorei ver as fotos. Não tenho palavras para agradecer o carinho. Que Deus o abençôe. Fique com Deus e um grande abraço.

    ResponderExcluir