quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

CHAVANTES - HISTÓRIA ILUSTRADA DO MUNICÍPIO

APRESENTAÇÃO


Igreja Matriz de N.S Aparecida

Conheci a cidade de Chavantes em 1957 quando morava na vizinha cidade de Ipaussu e fui assistir a uma partida de futebol entre as equipes das duas cidades: A A.A. Chavantense e o C.A. Ipauçuense. (a grafia passou a ser Ipaussuense anos depois).

Nas décadas de 1980 e 1990, de passagem para visitar parentes na região estive novamente na cidade, revendo um grande amigo que tive na juventude no Município de Bernardino de Campos, o Valdeval Barlati (Varginho), comerciante e desportista em Chavantes.
Fiquei muito triste quando recebi a notícia do falecimento dele há alguns anos.

Pela Rodovia Raposo Tavares, passei próximo da cidade outras vezes com minha família indo a Ourinhos e Ribeiro do Sul onde tenho parentes, não chegando entretanto a adentrar a cidade.

Embora pequena, Chavantes é acolhedora, tem um interessante museu histórico e os pontos turísticos estão relacionados com a represa no Rio Paranapanema que passa pelo município.


ADMINISTRAÇÃO:

Poder Executivo


Prefeitura Municipal


Marcio de Jesus do Rego
Prefeito



Douglas Edson Mollo
Vice-Prefeito: 


Poder Legislativo



Câmara Municipal

Vereadores:

Os Vereadores eleitos e empossados para o mandato de 2017 a 2020 no Município de Chavantes são:


Ana Fátima Moreira Pereira


Daniel Belizário de Oliveira


Hilton de Oliveira


Luiz César Pedro Longo


Luiz Filipe de Paula Jacinto


Maicon Henrique Brizola


Rafael Lopes Garcia


Shirley Aparecida Vieira



Célio Nascimento da Silva


Fonte: http://www.camarachavantes.sp.gov.br/vereadores/224/shirley-aparecida-vieira/



HISTÓRIA:

A história da nossa terra começa quando, no ano de 1887, aqui chegou, juntamente com sua família, o pioneiro João Ignácio da Costa Bezerra.
Este pioneiro, atraído por esta terra fértil, pelo seu excelente clima e pela beleza do Vale do Paranapanema, resolveu aqui se instalar às margens do riacho da Cachoeira ou Igarapé da Cachoeira, provavelmente nas proximidades onde se encontra hoje instalada a Sermec S/A Indústrias Mecânicas, e principiou ali a abertura de uma clareira que daria origem ao primeiro núcleo de moradias e posteriormente, o surgimento do Distrito de Irapé, e consequentemente, ao Município de Chavantes. Nos idos de 1887, tudo aqui era sertão bruto e, segundo consta do livro de Borba Gato, somente o grande bandeirante Fernão Dias Paes Leme, em suas andanças pelo Brasil, à procura de esmeraldas, principalmente, aqui esteve e fez suas escavações na tentativa de encontrar as tão sonhadas pedras. Nem mesmo as hostilidades deste sertão bruto impediram o progresso desta localidade, cujo grupo de pessoas era formado pelo destemido João Ignácio da Costa Bezerra e sua família, aliado ao seu companheiro também recém-chegado João Francisco Machado, e mais algumas famílias.
Pensaram logo em fundar ali um Patrimônio, para isso recorrendo às pessoas de sua amizade que faziam parte da comunidade, começando a angariar alguns alqueires de terras para este fim. Destacou-se nestas doações, o Sr. Joaquim Custódio de Souza e sua família .
Foram assim angariados 19 alqueires de terra, e ficou designado o dia 07 de outubro de 1900 para ter lugar a anunciação do novo patrimônio com o nome de Patrimônio de Santana da Cachoeira. Como vemos, este povoado recebeu, desde o seu início muitas denominações, ou seja: Fazenda Santana da Cachoeira, - Patrimônio Santana da Cachoeira, - Vila de Santana da Cachoeira e, finalmente, culminaria com Distrito de Irapé, que atingiria o seu auge Econômico, Político e Cultural entre os anos de 1909 e 1925.
A partir daí, perderia importância e cederia a sua hegemonia ao Distrito e posteriormente Município de Chavantes que passaria a liderar e tomar as decisões sobre este pedaço de chão e sua gente. Mas antes do Distrito de Irapé perder a sua importância em favor do Distrito de Chavantes, o primeiro distrito que deu origem ao nosso Município, foi palco de importantes acontecimentos, pois Irapé era o "QG" dos coronéis na época.
Dada esta importância, este Distrito era centro de decisões regionais, que influiam nos negócios Estaduais e Federais. Tamanha era a importância deste Distrito que, muitas obras de vulto, aqui foram construídas. Entre elas poderíamos destacar: Em 1915 é construída a Igreja Matriz do Distrito de Irapé, sendo inaugurada em 25/08/1918; em 1918 são feitos os estudos para a construção da Ponte "Alves Lima" - PONTE PÊNSIL DE CHAVANTES"; em 1921 é construído o Teatro São José, Teatro Distrital do Irapé, sendo o 1º a ser construído no Oeste Paulista. Na época, existiam muitas atividades no Distrito de Irapé, e uma intensa vida Política, Social, Econômica e Cultural, dominava este local. Somente na Rua Central do Irapé, havia um grande número de prédios com mais de sessenta casas comerciais oferecendo produtos nacionais e estrangeiros de toda ordem.
No Distrito de Irapé, se reuniam todos os comerciantes, homens de negócio e moradores da região, para fazerem as suas transações comerciais.
Formação Administrativa: Distrito criado com a denominação de Irapé, por lei estadual nº 1772, de 22-10-1909, subordinado ao município de Santa Cruz do Rio Pardo. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, figura no município de Santa Cruz do Rio Pardo o distrito de Irapé. Pela lei estadual n.º 1554, de 08-10-1917, o distrito de Irapé passou a denominar-se Chavantes. Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de I-IX-1920, Chavantes figura como distrito do município de Santa Cruz do Rio Pardo. Elevado à categoria de município com a denominação de Chavantes, por lei estadual nº 1885, de 04-12-1922, desmembrado de Santa Cruz do Rio Pardo. Sede no antigo distrito de Chavantes. Constituído do distrito sede. Instalado em 08-02-1923.
Em divisão administrativa referente a 1933, o município de Chavantes é constituído do distrito sede. Pelo decreto-lei nº 7064, de 06-04-1935, é criado o distrito de Irapé e anexado ao município de Chavantes. Pelo decreto-lei nº 14334, de 30-11-1944, é criado o distrito de Canitar e anexado ao município de Chavantes. No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município de Xavantes é constituído de 3 distritos: Chavantes, Irapé e Canitar. A lei estadual nº 8092, de 28-02-1964, altera a grafia do município de Chavantes para Xavantes. A lei nº 3223, de 30-12-1981, altera a grafia do município de Xavantes para Chavantes. A lei estadual nº 7644, de 30-12-1991, desmembra do município de Chavantes o distrito de Canitar que é elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada em 01-VI-1995, o município é constituído de 2 distritos: Chavantes e Irapé. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.
Alteração de grafia: Chavantes para Xavantes: teve sua grafia alterada pela lei estadual nº 8092, de 28-02-1964. Xavantes para Chavantes: teve sua grafia alterada por força da lei nº 3223, de 30-12-1981. Alteração toponímica distrital:Irapé para Xavantes, alterado pela lei estadual nº 1554, de 08-10-1917.



OUTRAS INFORMAÇÕES


Demografia



Dados do Censo - 2000






Urbana: 10.440



Rural: 1.754



Homens: 6.082



Mulheres: 6.112



Densidade demográfica (hab./km²): 64,97



Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 15,79


Expectativa de vida (anos): 71,26

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,34






IDH-M Renda: 0,709



IDH-M Longevidade: 0,771



IDH-M Educação: 0,848



(Fonte: IPEADATA)


Hidrografia



Rodovia:SP-270 – Rodovia Raposo Tavares

Municípios limítrofes: Canitar, Ipaussu, Santa Cruz do Rio Pardo, Timburi e Ribeirão Claro,este último no Paraná.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Chavantes




ACERVO FOTOGRÁFICO



Banco do Brasil




Museu Histórico



Rio Paranapanema entre Chavantes, SP
e Ribeirão Claro, PR.



Ponte Pênsil Alves Lima



Praça da Matriz vista do alto



Praça do Terminal Rodoviário



Prédio dos Correios



Projeto CineSolar (cinema ao ar livre)



Represa de Chavantes (Rio Paranapanema)



Vista aérea da cidade de Chavantes



Alunos do 3º ano da Escola Olegário Bueno
visitando o museu municipal c/ a profª Luana



Chavantes comemorando seu 92º aniversário



Chavantes - Ponto estratégico da
Revolução Constitucionalista de 1932 



Clube Ouro Verde



Festa de Páscoa na EMEF Profª Nelly
Mazzante Machado



Escola João Batista do Distrito de Irapé



Estação Rodoviária


EMEI Cel. Manoel Ferreira



Centro de Saúde Dr. Wanor Torres



Praça dos Estudantes



Torneio de Xadrez entre as escolas de Chavantes


Fonte: Internet (várias)



Vídeo Institucional de Chavantes


AGRADECIMENTO

          Fica aqui registrado meus agradecimentos à Vanilza Barlati por sua preciosa colaboração nesta postagem.


CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.



SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM



Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, professor e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com















Nenhum comentário:

Postar um comentário