quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

WILSON DO CARMO RIBEIRO, HISTORIADOR DA CIDADE, TORNA-SE CIDADÃO ALUMINENSE

APRESENTAÇÃO



No dia 22-11-2014 a Câmara Municipal de Alumínio realizou sessão solene para a entrega de títulos de Cidadão Aluminense à professora Claudia Regina Rech Rossoni e ao professor Wilson do Carmo Ribeiro.
Claudia é professora pertencente ao quadro de funcionários da Prefeitura Municipal de Alumínio e realizou excelente trabalho relativo ao plano de cargos e salários, o qual se tornou lei municipal.
Wilson morou em Alumínio e trabalhou trinta e um anos na Cia. Brasileira de Alumínio, tendo ainda participação efetiva nas atividades sociais, políticas e religiosas na comunidade.  
A sessão solene foi presidida pelo Vereador Eduardo Jesus de Mello, presidente da edilidade aluminense, contando com a participação de Vereadores, da Vice-prefeita senhora Ângela Tisêo e de personalidades representativas da comunidade.
Foram feitas as leituras das biografias dos homenageados por vereadores convidados pelo presidente. Em seguida, os novos cidadãos fizeram seus discursos, mencionando seus trabalhos e agradecendo a honraria que estavam recebendo.
Foi projetado um “vídeo-vida” sobre a vida do prof. Wilson, preparado por sua filha, psicóloga Eliane Ribeiro Gonçalves, mostrando toda a trajetória de seu pai, desde a chegada em Alumínio em 1958 até os dias atuais.
Ao final os homenageados foram cumprimentados pelas autoridades e demais pessoas presentes, observando-se um clima de bastante emoção de ambas as partes.


GRATIDÃO

Em seu discurso o prof. Wilson pautou sua fala num tom de agradecimento quase que do princípio ao fim: Ei-lo:

 Senhoras e senhores,
         Há cinquenta e seis anos atrás um rapaz de dezessete anos aportava na estação ferroviária de Alumínio com sua família: o pai, a mãe e quatro irmãos mais novos. Era madrugada e, vendo a mudança que chegara na véspera, os meninos deitaram  sobre os colchões de palha que estavam em um canto do depósito. Os pais ficaram no aguardo de um senhor de nome Paulo Dias, para quem a família iria trabalhar na olaria.
         Já com o dia claro, aquele rapaz, que era eu, acordou e viu um menino ali bem perto, fitando a cena admirado. Ele perguntou algumas coisas e eu respondi. Fiquei sabendo posteriormente que o menino se chamava Domingos Armando Filho. Algum tempo depois o pai dele viria a ser meu primeiro chefe na CBA.
         O sonho de trabalhar na indústria fora adiado por um ano e todos foram morar na Vila Paulo Dias. Naquele final de 1958 e boa parte do ano seguinte a família Ribeiro fez tijolos na olaria construída em sua propriedade. A marca desse trabalho está registrada para sempre, não em documentos, mas nas casas que o Sr. Paulo construiu com os tijolos que fizemos.
         Mas tudo acontece no tempo de Deus e, em 1960 o pai e três quatro filhos estavam registrados na fábrica. Para não delongar e até mesmo porque já foi falado sobre minha trajetória na CBA na leitura de meu currículo, devo dizer que, de sucateiro em 1960 a Assistente Administrativo em 1985, tive uma carreira vitoriosa, própria de quem sempre procurou cumprir seus deveres colocando Deus em primeiro lugar.
         O apoio da família, em especial da esposa Claudineide Marra Ribeiro, adolescente trabalhadora na indústria têxtil de 1961 a 1965 e professora de 1980 a 2009, foi decisivo. A ela meu reconhecimento público. Aos filhos amados que Deus nos deu Wilson Cláudio, Eliane Flávia e Artur e as famílias que constituíram, meu preito de grande regozijo pelas vitórias na vida.
         Os estudos foram uma constante em nossas vidas uma vez que tanto eu como dona Claudineide não tínhamos o primeiro grau completo e o fizemos com muitos esforços. Apesar das muitas lutas, chegamos ao superior e proporcionamos a mesma coisa aos nossos filhos.
         Aos companheiros de trabalho na CBA ao longo da jornada de 31 anos minha gratidão pelo companheirismo e amizade. Foram diretores, gerentes, chefias e colegas que ombrearam por três décadas, participando do crescimento da fábrica e desta cidade que cresceu ao redor e em função dela.
         Aos meus irmãos na fé da Igreja Presbiteriana e outras denominações, primeiramente em Alumínio e depois em Mairinque, minha gratidão pelo acolhimento e pelas oportunidades de desenvolvimento espiritual meu e de minha família.
         Aos colegas professores, direção e funcionários do Supletivo Municipal no qual lecionei durante dez anos agradeço por ter ensinado e também aprendido com os alunos e alunas que me deram a oportunidade de compartilhar conhecimentos que adquiri nos bancos escolares e na vivência de cada dia.
         Aos colegas com os quais participamos da organização da Cooperativa de Crédito e na Câmara Municipal de Mairinque por duas vezes, meu reconhecimento. Aos eleitores que confiaram em mim, e aos companheiros de chapas nas eleições, minha eterna gratidão.
         Ao jornal Diário de Sorocaba, do qual fui correspondente em Alumínio também agradeço, não só porque pude divulgar as reivindicações da comunidade, mas porque aprendi muito em termos de redação, o que me ajudou muito e continua ajudando agora que sou um homem de cabelos embranquecidos, mas que faz de seu blog na Internet o um instrumento de comunicação e lazer.
         A matéria denominada Cidade de Alumínio – Fatos e Fotos de Sua História é a mais visualizada, trazendo centenas de fotos das pessoas e dos diversos aspectos da comunidade que evoluiu da condição de bairro quando aqui cheguei a Distrito em 1980 e Município em 1991.
         Não posso e não devo omitir uma preocupação que é minha e de grande parte daqueles que moraram e, acredito que também daqueles que residem em Alumínio, no tocante à Cia. Brasileira de Alumínio e os rumos que a política administrativa pós Antonio Ermírio vem dando à empresa.
Afinal, a própria História da cidade afirma que “A história de Alumínio esteve e está inteiramente ligada com a história da Cia. Brasileira de Alumínio.”         
         Agradeço a Câmara Municipal de Alumínio e em especial ao nobre edil Dr. Alexandre Amaral pela propositura do título de Cidadão Aluminense a mim concedido com apoio dos demais vereadores. Espero honrar este título enquanto Deus me conceder vida.
         Não poderia encerrar sem agradecer aos inúmeros amigos granjeados ao longo desses mais de cinquenta anos os quais fizeram parte de minha vida. Hoje os “Amigos Antigos” comunidade virtual nas redes sociais, são representados pelos companheiros de trabalho ou vizinhos nas décadas de 1960 a 1980. Existe um grande desejo de que as memórias guardadas em nossos cérebros e que nos fazem tão bem, sejam preservadas aqui em Alumínio através de um museu, o qual registro aqui o pedido para que esta nobre edilidade se empenhe para que construção seja efetivada
         Terminando, pergunto: Será que valeu a pena enfrentar as lutas? As dificuldades, os percalços do caminho? E eu mesmo respondo valendo-me das palavras do poeta Fernando Pessoa. Sim, tudo vale a pena quando a alma não é pequena.
Obrigado.

 

BIOGRAFIA

Filho de Durvalino Antonio Ribeiro e Benedita Maria Ribeiro, Wilson nasceu na área rural do município de Campos Novos Paulista, micro região de Ourinhos, interior do Estado de São Paulo aos 16 de julho de 1941, sendo o mais velho de cinco irmãos.
Iniciou os estudos primários na escolinha do bairro e concluiu-os no município de Santa Cruz do Rio Pardo, na mesma região, para onde a família se mudara para trabalhar em olaria. Residiu e ajudou a família na fabricação de tijolos nos municípios de Bernardino de Campos e Ipaussu, mudando-se para o então Bairro de Alumínio em dezembro de 1958, indo residir na Vila Paulo Dias, continuando a fazer tijolos até agosto de 1959.
Foi admitido na Cia. Brasileira de Alumínio como Ajudante na Laminação de Papel em 02-01-1960, passando em seguida a Operador de Ponte Rolante. Em 02-01-1962 obteve transferência para a Divisão de Pessoal como Auxiliar de Escritório, tendo estudado datilografia na escola da professora Ivone Molinari.
Retomou os estudos, fazendo Madureza Ginasial na ACM de Sorocaba e obtendo seu certificado na EEPSG Prof. Julio Prestes de Albuquerque na mesma cidade. O segundo grau foi feito no Liceu Pedro II e o curso de Pedagogia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Sorocaba, concluído em 1973.
Na Cia. Brasileira de Alumínio teve a seguinte evolução profissional: 1) - Auxiliar de Encarregado na Seção Pessoal e Coordenador das Casas da Vila Industrial; 2) – Chefe da Seção Métodos e Processos: 3) – Assistente Administrativo, posição na qual saiu por aposentadoria em 11-03-1991.
Foi eleito Operário Padrão da CBA em 1984 e da região de Sorocaba no mesmo ano representando a região na fase estadual. Esse concurso foi promovido pelo SESI e Jornal O Globo.
No magistério lecionou no SENAI - Alumínio, Escola Municipal de Ensino Supletivo (em Alumínio e em Mairinque) e no Sistema Educacional Barão em São Roque. Integrou a Comissão Municipal do Movimento Brasileiro de Alfabetização (Mobral.). Coordenou cursos para formação de bombeiros e vigilantes na Cia. Brasileira de Alumínio.
Na atividade político-partidária participou de quatro eleições como candidato a Vereador. Em 1976, residindo em Alumínio obteve a segunda suplência, assumindo o mandato por dois meses em 1979. Residindo em Mairinque foi eleito, desempenhado o mandato de 1989 a 1992, tendo integrado a Mesa da Câmara como segundo Secretário. Foi o primeiro Secretário da Comissão que elaborou a Lei Orgânica Municipal em 1990.
Como Secretário da Câmara Municipal de Mairinque na ausência do presidente e vice da edilidade, assinou documento endereçado à Secretaria da Educação do Estado de São Paulo pedindo a instalação do curso de Computação no segundo grau na Escola Honorina Rios de Carvalho Melo em Alumínio. A diretora do estabelecimento à época era a professora Volda Pedroso Lippi.
 De janeiro de 1993 a novembro de 1996 trabalhou em cargo comissionado na Prefeitura Municipal de Mairinque, inicialmente como Chefe da Divisão de Pessoal e Zeladoria e depois como Diretor Especial Executivo.
No segmento social fez parte da diretoria da Biblioteca Pública Antonio Pereira Ignácio como primeiro secretário e foi sócio-fundador da Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Empregados da CBA, sendo o primeiro secretário da Comissão de Crédito. Foi por breve período de tempo Presidente do Conselho Municipal de Segurança do Município de Mairinque. Atuou como Correspondente do jornal Diário de Sorocaba entre os anos de 1967 a 1985. Além de publicar notícias sobre a cidade se empenhou também para que a comunidade recebesse novas escolas, posto de saúde e até mesmo um posto de gasolina, estabelecimento que até então não existia em Alumínio.
Colaborou ainda com os jornais O Democrata, Votorantim em Notícias e Brasil Presbiteriano
Em 31-12-1961 passou a fazer parte da Igreja Presbiteriana de Alumínio a qual funcionava como congregação da Igreja Presbiteriana Filadélfia de Sorocaba. A igreja organizou-se eclesiasticamente em 15-03-1965 e Wilson foi um dos diáconos eleitos. Em 15-03-1975 foi eleito presbítero, cargo que exerce até hoje, sendo um dos membros organizadores da Igreja Presbiteriana de Mairinque em 15-11-1985. Nessa cidade o trabalho presbiteriano começou em sua residência no Jardim Cruzeiro em julho de 1981, abrigando os aluminenses que haviam se mudado para aquele novo bairro, juntamente com algumas pessoas oriundas da Igreja Metodista de Mairinque e novos convertidos.
Por motivos familiares Wilson e a esposa Claudineide transferiram residência para o município de Araçoiaba da Serra no início de 1997 onde residiram até junho de 2011, mudando-se para Sorocaba onde residem atualmente.
Os filhos: Wilson Cláudio casado com Selma é micro-empresário, Eliane casada com Luiz Rodolfo é Psicóloga, Flávia casada com Willy é Assistente Social e Artur casado com Catarina é Publicitário.
O casal Wilson e Claudineide desfruta da aposentadoria, ele como industriário e ela como professora da rede estadual de ensino. Netos são cinco, sendo um homem e quatro mulheres.
Embora com formação em Educação, Wilson dedica-se à História, escrevendo e publicando em seu blog na Internet (Blog do Ribeiro –
www.wilson-ribeiro.blogspot.com). É de sua autoria, entre outras, as postagens:
- Cidade de Alumínio – Fatos e Fotos de Sua História;
- Alumínio, História Ilustrada do Município.
- Companhia Brasileira de Alumínio – 57 Anos;
- Pequena História do Município de Mairinque;
- O Presbiterianismo em Sorocaba e Região;
- O Presbiterianismo em Alumínio;
- O Presbiterianismo em Mairinque;
- História da Igreja Presbiteriana     Independente de Alumínio;
- História da Igreja Presbiteriana de Araçoiaba da Serra;
- História da Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.

O lema de vida do casal Wilson e Claudineide é “Até aqui nos ajudou o Senhor, por isso estamos alegres” (I Samuel 7.12)

Sorocaba, 10 de outubro de 2014.



 A CÂMARA



Câmara Municipal de Alumínio (exterior)


Professores Wilson e Cláudia com seus títulos



O Diploma


Vereador Eduardo Jesus  de Mello, 
Presidente da Câmara


 Vereador Dr. Alexandre Amaral
Propôs da concessão do título


REGISTRANDO O MOMENTO


 O homenageado com sua família


Com a esposa, os filhos e a neta Isabella


Com a vereadora Dra. Ana Paula César Marquetti, 
o esposo dela, vereador Dr. Alexandre Amaral (propositor
 da  homenagem) e o presbítero Luiz Aparecido Padilha 


 Professora Claudineide Marra Ribeiro e a amiga
Nádia Pires


Professoras Claudineide e Santana Parolini


 Professora Nancy Barros Gregoris
Cidadã  Aluminense presente


 

O FILME QUE MOSTRA A TRAJETÓRIA DO HOMENAGEADO

Abaixo o filme já citado mostrando a saga de Wilson do Carmo Ribeiro, que com a inestimável participação de sua esposa, a professora Claudineide Marra Ribeiro, conseguiu trabalhar, estudar e educar os filhos que seguiram as pegadas dos pais, transferindo os princípios de educação aos seus descendentes.
Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele. Provérbios 22.6 (Bíblia Sagrada) 







CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação.


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM

Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, pedagogo e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário