terça-feira, 23 de dezembro de 2014

NATAL: VERDADES, MITOS E TRADIÇÕES



APRESENTAÇÃO

         Existem muitos artigos prontos na Internet, nos livros e nas revistas a respeito do Natal. Porém, este é de minha própria lavra, sem utilização de nada que estivesse pronto, a não ser informações que colhi nas fontes que indico.
        Meu desejo é fazer um trabalho simples, mas que dê algumas informações aos amigos (as) a respeito da data magna da cristandade. Coisas interessantes que por certo enriquecerão os conhecimentos de vocês.
        Procuro responder perguntas tais como: Por que Jesus nasceu e viveu aproximadamente trinta e três anos na terra?; Por que ele nasceu em Belém na Judéia e não em Nazaré na Galileia onde José e Maria moravam?; O Natal aconteceu nesta época do ano ou não?; E os magos: Eram reis?; Eram três?; Qual o significado dos presentes que os magos trouxeram ao recém-nascido?; E a árvore de Natal, onde entra na história?; E o Papai Noel, de onde surgiu? E daí por diante.
        Deus vos abençoe para que tenham um Natal de 2014 abençoado e que Jesus, se ainda não nasceu em vossos corações, que isso aconteça o mais breve possível.

ANTECEDENTES

        Após a queda do ser humano no Éden Deus anuncia as conseqüências do ocorrido. Após se dirigir ao homem e à mulher Ele fala com a serpente dizendo:E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar” (Gênesis 3.15)  
        A semente da mulher que feriria a cabeça da serpente seria Jesus Cristo, aquele que, com seu sangue, remiria o ser humano do seu pecado.
        Mediante os textos citados podemos perceber que Jesus Cristo sempre existiu, ou seja, assim como Deus Pai, ele é eterno. Dessa forma, conclui-se que seu nascimento e vida aqui na terra á apenas um pequenino segmento da História.
        Para não nos alongarmos a respeito das profecias sobre o nascimento do Messias, citaremos aquelas feitas por dois profetas no Velho Testamento: Isaias que viveu entre 765 e 681anos aC e Miquéias entre 750 e 680 aC.
        Em uma de suas profecias a respeito de Jesus, Isaías afirma: “Portanto o Senhor mesmo vos dará um sinal: eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome Emanuel." (Isaías 7.14)
 E o mesmo profeta continua: "Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; e o governo estará sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai Eterno, Príncipe da Paz." (Isaías 9.6)
Por sua vez, Miquéias, profetisa sobre o local do nascimento de Jesus "Mas tu, Belém Efrata, posto que pequena para estar entre os milhares de Judá, de ti é que me sairá aquele que há de reinar em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade." (Miquéias 5.2)
O apóstolo João escreve No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.
Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens.
E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam."

(João 1.1-5)

OS FATOS E SEUS PERSONAGENS

        O evangelista Mateus  narra desta maneira o nascimento do filho de Deus: Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Que estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo.
Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente.
E, projetando ele isto, eis que em sonho lhe apareceu um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, porque o que nela está gerado é do Espírito Santo;
E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados.
Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz;
Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco.
E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher;
E não a conheceu até que deu à luz seu filho, o primogênito; e pôs-lhe por nome Jesus."
(Mat. 1.18-25)
            Por sua vez, o “médico amado” Lucas em seu Evangelho assim descreve o singular acontecimento: “E aconteceu naqueles dias que saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo se alistasse
(Este primeiro alistamento foi feito sendo Quirino presidente da Síria).
E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade.
E subiu também José da Galiléia, da cidade de Nazaré, à Judéia, à cidade de Davi, chamada Belém (porque era da casa e família de Davi),
A fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida.
E aconteceu que, estando eles ali, se cumpriram os dias em que ela havia de dar à luz.
E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
Ora, havia naquela mesma comarca pastores que estavam no campo, e guardavam, durante as vigílias da noite, o seu rebanho.
E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.
E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:
Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.
E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura.
E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo:
Glória a Deus nas alturas, Paz na terra, boa vontade para com os homens.
E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém, e vejamos isso que aconteceu, e que o Senhor nos fez saber.
E foram apressadamente, e acharam Maria, e José, e o menino deitado na manjedoura."
(Lc. 2.1-16)


EXPLICANDO O QUE FOI QUESTIONADO

         Observando-se primeiramente que a narrativa de um evangelista complementa a do outro, vamos às explicações daquilo que colocamos como perguntas no início deste trabalho.

Por que Jesus nasceu e viveu aproximadamente trinta e três anos na terra? 

A resposta está no cumprimento daquilo que Deus anunciou lá no Gênesis. O filho da mulher esmagaria a cabeça da serpente. Jesus nasceu, viveu por aproximadamente trinta e três anos e morreu para nos libertar das garras do pecado. Muitos textos comprovam isto. Cito a título de ilustração este: “Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos de desobediência,
entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais.
Mas Deus, sendo rico em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, estando nós ainda mortos em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo {pela graça sois salvos},
e nos ressuscitou juntamente com ele, e com ele nos fez sentar nas regiões celestes em Cristo Jesus,
(Efésios 2.1-6)


Por que ele nasceu em Belém na Judéia e não em Nazaré na Galileia onde José e Maria moravam?

        A resposta vem lá do Velho Testamento quando Miquéias profetizou que Jesus nasceria em Belém de Judeia. Veja: " Mas tu, Belém Efrata, posto que pequena para estar entre os milhares de Judá, de ti é que me sairá aquele que há de reinar em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade." 
        Portanto, embora José e Maria morassem em Nazaré, distante 160 quilômetros distante de Belém, era da vontade soberana de Deus que Seu filho nascesse na pequena vila de Belém, terra de nascimento deles. O casal era da descendência de Davi o grande rei de Israel.
        Note-se ainda que a ida de José e Maria a Belém foi para cumprir o que o poderoso imperador romano César Augusto decretara, ou seja, um recenseamento. Mas acima da vontade do dominador romano, estava a vontade do soberano de todas as coisas: Deus.a naquela mesma comarca

O Natal aconteceu nesta época do ano ou não?

        O evangelista Lucas afirma que havia pastores que estavam vigiando seus rebanhos durante a noite quando Jesus nasceu. Final de dezembro é verão para nós aqui no hemisfério sul e é inverno lá no hemisfério norte onde está localizado o Estado de Israel.
        Portanto é muito pouco provável que Jesus tenha nascido nesta época uma vez que no inverno, que lá é rigoroso, os pastores não passariam a noite com suas ovelhas no descampado. 
        Em uma das fontes pesquisadas (confrontadas com algumas outras) enco0ntramos esta explicação para que a comemoração do Natal de Jesus seja no dia 25 de dezembro: "A comemoração do Natal de Jesus surgiu de um decreto. O Papa Júlio I decretou em 350 que o nascimento de Cristo deveria ser comemorado no dia 25 de dezembro, substituindo a veneração ao Deus Sol pela adoração ao Salvador Jesus Cristo. O nascimento de Cristo passou a ser comemorado no Solstício do Inverno em substituição às festividades do Dia do Nascimento do Sol Inconquistável."


E os magos: Eram reis?; Eram três?; Qual o significado dos presentes que eles trouxeram ao recém-nascido?
       
 Mateus afirma: “E, tendo nascido Jesus em Belém de Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém,
Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adorá-lo.”
         Vejam que o escritor afirma que vieram uns magos, não especificando quantos eram. Os magos eram homens sábios, versados especialmente em Astrologia e que faziam da forma que lhes era possível, o que os astrônomos passaram a fazer em tempos mais modernos.
         Geralmente ocupavam posição de destaque nas cortes reais, inclusive interpretando sonhos dos monarcas, como se pode ver nos casos de José no Egito e Daniel na Babilônia que interpretaram sonhos que os magos não conseguiram fazer. Portanto, magos eram magos e reis eram reis.
         O número de três magos provavelmente acabou sendo adotado pela quantidade de presentes ofertados ao recém-nascido: ouro, incenso e mirra.
         Quanto ao significado dessas três especiarias apuramos o seguinte: De acordo com o profeta Isaías, Jesus seria profeta sacerdote e rei. Os presentes simbolizam essas funções:

Ouro (Rei)
Este carrega um significado óbvio. É precioso e digno em todas as culturas e épocas. É um ajuste de presente para a realeza que diz para o menino Jesus, Você será um Rei!

Incenso (Sacerdote)
O nome para essa resina provavelmente vem de incenso de francos desde que foi reintroduzida para a Europa pelos cruzados francos. Embora seja mais conhecido como incenso "para os ocidentais a resina também é conhecido como incenso, que é derivado do árabe al-lub ("o leite")."Suba a minha oração perante ti como incenso, e as minhas mãos levantadas sejam como o sacrifício da tarde"(Sl 141:2)

Uma referência à seiva leitosa aproveitado da árvore Boswellia: chamada Frankincense. Tem sido elogiado por suas propriedades medicinais e calmante. Médicos dizem que é calmante, restaurador e meditativo. Também é considerado: estimulante, tonificante e com propriedades de aquecimento. O mundo antigo usava para tratamento da depressão. povos antigos queimavam incenso para realizar suas orações. Incenso, portanto, ilustra Seu papel como nosso Sumo Sacerdote.

Mirra (amarga e curativa – o sacrifício de Jesus).
Este é talvez o mais misterioso dos presentes. É uma resina produzida por uma pequena árvore scraggly que cresce em regiões semidesérticas do Norte de África e do Mar Vermelho. Mirra é uma palavra árabe que significa amargo, e é considerado um curador de feridas por causa de seu forte poder antisséptico e anti inflamatórias. Os chineses usaram durante séculos para tratar ferimentos, hematomas e sangramento e aliviar o inchaço doloroso.


E a árvore de Natal, onde entra na história?

        Para quase todos os assuntos que nos propomos a pesquisar existe mais de uma fonte, isto nos livros e também na internet. Optei por esta para responder a pergunta:
        
 Árvore de Natal
“Em quase todos os países do mundo, as pessoas montam árvores de Natal para decorar casas e outros ambientes. Em conjunto com as decorações natalinas, as árvores proporcionam um clima especial neste período. 
Acredita-se que esta tradição começou em 1530, na Alemanha, com Martinho Lutero. Certa noite, enquanto caminhava pela floresta, Lutero ficou impressionado com a beleza dos pinheiros cobertos de neve. As estrelas do céu ajudaram a compor a imagem que Lutero reproduziu com galhos de árvore em sua casa. Além das estrelas, algodão e outros enfeites, ele utilizou velas acesas para mostrar aos seus familiares a bela cena que havia presenciado na floresta. 
Esta tradição foi trazida para o continente americano por alguns alemães, que vieram morar na América durante o período colonial. No Brasil, país de maioria cristã, as árvores de Natal estão presentes em diversos lugares, pois, além de decorar, simbolizam alegria, paz e esperança.”

E o Papai Noel, de onde surgiu? 

O Papai Noel : origem e tradição

Estudiosos afirmam que a figura do bom velhinho foi inspirada num bispo chamado Nicolau, que nasceu na Turquia em 280 d.C. O bispo, homem de bom coração, costumava ajudar as pessoas pobres, deixando saquinhos com moedas próximas às chaminés das casas. 
Foi transformado em santo (São Nicolau) pela Igreja Católica, após várias pessoas relatarem milagres atribuídos a ele. 
A associação da imagem de São Nicolau ao Natal aconteceu na Alemanha e espalhou-se pelo mundo em pouco tempo. Nos Estados Unidos, ganhou o nome de Santa Claus, no Brasil de Papai Noel e em Portugal de Pai Natal.

CONCLUSÃO

        Percebe-se pela narrativa bíblica através de três dos evangelhos que o nascimento de Jesus é uma verdade incontestável. A História da Humanidade também reafirma isso.
        Entretanto, existem alguns fatos que surgiram de ilações ou são entendidos de forma um tanto fora do que realmente é. Outras coisas relativas ao Natal surgiram copiando-se costumes de povos não cristãos.
        Por fim, há que se destacar a grande influência que o apelo comercial exerce nesta época do ano, com as ruas e os shoppings fervilhando de gente buscando comprar uma lembrança para dar às pessoas que ama.
        Para encerrar, aqui fica um versículo da Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada que resume o por que do nascimento de Jesus Cristo em Belém da Judeia há mais de dois mil anos: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". ( Jo 3.16)


 FOTOS ILUSTRATIVAS



Nazareth, Galiléia (Israel)


 Belém (Cisjordânia) Palestina


 Basílica da Natividade (Belém)


Manjedoura


 Os Magos


Resina da qual se extrai a mirra  


Fonte: Internet


Hino Ó Noite Santa - Versão e 
interpretação de Jessé

CONCLUSÃO

         Este trabalho pode ser melhorado através de críticas construtivas e sugestões. É assim que tenho feito com todas as postagens publicadas em meu blog.

        Portanto, se você tiver qualquer contribuição a fazer, poderá entrar em contato comigo através do e-mail indicado no final desta publicação. 


SOBRE O AUTOR DA POSTAGEM

Wilson do Carmo Ribeiro é industriário aposentado, pedagogo e historiador diletante. 
É presbítero em exercício da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo atualmente na Igreja Presbiteriana Rocha Eterna de Sorocaba.
E-mail: prebwilson@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário